domingo, 15 de março de 2009

una milonga

na melodia
sem harmonia
das notas
que, no meu corpo,
só você toca:
um tema,
no improviso
jazz na rima
e sua estrela
... brilha
num blues sustenido

enquanto eu
quase-soul

6 comentários:

Francisco Dantas disse...

Querida amiga, o "quase" (quase-soul) é sempre uma possibilidade de resgate de uma sobrevivência em meios de tantos acidentes (sustenidos e bemois). Um beijo.

Renata (impermeável a) disse...

ahhhhhh...... maravilhoso!!!!!!!!!!!!

adorei!!!!!!!!!!11

Leandro Jardim disse...

eita, essas belezuras da Sandra!

Atalhos periféricos disse...

Sandra,

Um lindo solo poemado...

Estou com este novo blog. Passa por lá, bonita.

bjo,

Franck

Madame Morte disse...

Música é silêncio.E no silêncio as palavras mais fortes ditas a pé do ouvido desconstroem e constroem laços tão fortes que se tornam cordas para enforcar-se.

Sorte dos surdos.

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Quase-soul...muito bom