domingo, 20 de dezembro de 2009

eco-cardio-drama

Meu músculo
minúsculo
se esconde
entre órgãos e sangue
num prolapso
ainda bate
bombardeia
meu peito
- que rebate:
"Não enfarte"

[...]

no diagnóstico
o óbvio:
meu coração em partes

7 comentários:

Yara Beatrice Jasmin Nin Poulain Black Mamba disse...

teu poema
me bate
atacardiacamente

Thales Capitani disse...

.

É alta tua poesia
Dá-me alta da monotonia!

Queria eu ter essa claridade em transitar pelas falas...

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Uma certa tristeza, mas com muita beleza...

Nadja Reis disse...

Muito bom,como sempre!



xDD


bjoss









http://absolutamenteeu-nadja.blogspot.com/

Nydia Bonetti disse...

Adorei tua poesia! Estarei por aqui.

Abraços!

J.F. de Souza disse...

caraca... mas, aindassim, pulsante. podemos sentir. =)

=*

J.R. Lima disse...

Bom, muito bom. Bom demais para comentar. Serei forçado (hehehehe) a citar o Leminski.

***


sossegue coração
ainda não é agora
a confusão prossegue
sonhos afora

calma calma
logo mais a gente goza
perto do osso
a carne é mais gostosa


Paulo Leminski