quinta-feira, 1 de julho de 2010

no pretérito

Era tudo e nada
era uma forma inventada
de sentir prazer
era o gosto inédito
da boca inaugurada pelo teu ser
era a possibilidade e o acerto
era o desconcerto dos movimentos
era a mão sem lugar onde se pôr
era o olhar a ver colorido um só momento
(mesmo que tudo fosse sem cor)
era a alma a debater-se em dilemas
era um pequeno poema

Era nada
era tudo!!

3 comentários:

Rayanne disse...

Tudo!

Bom "lê-la"
De volta.
A poesia em código morse
Desenha saudades.

**Estrelas**

poetamatematico disse...

Bom, muito bom...

Palavras, palavras

Simone Huck disse...

adoro poesias começadas com "ERA", assim como pretéritos, todos.
Era uma fotógrafa, que resolveu unir a poesia e a fotografia...
Era uma poeta que viajava por aí, e gostava tanto desse blog aqui !!!
rs.
Sandra, agora estou em: http://simonehuck.wordpress.com
Te espero lá.
Bjs e voltando, mais uma vez...
Si