domingo, 13 de maio de 2007

sem-razão

Não sei o que há em mim
Que é tão teu como o silêncio
E lateja e entrega e tolera...

Talvez seja a distância de pele
Esse tato quase volátil
Expresso na ponta do lápis
Quem sabe um suspiro breve
Que o papel guarda no quarto

Não sei o que em mim
Leva a ti...
Que sempre foge

Nos dias que brilhamos
O hesitante entusiasmo
Único consolo:
O gozo impregnado
No corpo:
O mesmo orgasmo

Não sei o que
Fica
De ti...
Em mim
Que sempre falta

13 comentários:

paulo vigu disse...

"Eu conheço todos os seus medos
Parece que são meus
Deve ser como ter dois pés esquerdos e falar com Deus" Ah... nem tudo vai passar, alguma coisa sempre sobra,ah... nem tudo vai mudar, alguma coisa sempre fica pra nos lembrar" Riodaqui ao mar e um beijo em você.

Gil disse...

Laços que o tempo não desfia, não enfraquece, no máximo desbota um pouco.

A gente que confiava tanto no tempo;
ás vezes é um pouco frustrante.

Bom te ver aqui, Sandra.

andré gabriel disse...

"Não sei o que
Fica
De ti...
Em mim
Que sempre falta"

que maravilha, tanto em tão pouco. Minha flor, em seu modo de escrever vc é insuperável. beijocas

Rayanne disse...

Soprando baixinho, eu arrisco,
Suponho de ti que fica, na pele arisco
É mesmo esse estranho
A que chamamos amor...

***Estrelas, bela!***

moacircaetano, todo prosa! disse...

Sempre vai faltar algo, sempre...
por isso ser feliz com o imediato!
beijos, moça-que-eu-não-tenho-mais-o-telefone! rs...

Luzzsh disse...

Falando em "falta"....

...tudo bem por aí?

:)

Beijos.

Francisco Dantas disse...

Com certeza é prazer, Sandra, que, por mais que se tenha, sempre se quer mais. Um beijo.

Marla de Queiroz disse...

Eita, que essa moça sabe escrever um desejo...
Sempre tão lindos teus poemas
escritos enquanto a carne inda lateja quente...

cm disse...

...há sempre um espaço feito tempo quando as palavras se tornam silêncios...

Antônio Alves disse...

A busca pela ambigüidade é a característica marcante de um bom poeta. Parabéns

Antônio Alves

ZeRo S/A disse...

Palmas, muitas palmas para você...beijo grande.

KAtheryne disse...

San, querida: como estão as coisas por aí??? Bom adorei o poema, o que vc. não sabe... ou sabe e muito é que tudo isso é amor, ou não???? beijinhos com muitas saudades kathy

Múcio Góes disse...

sei lá,
é um num sei quê,
faz tempo
que em mim
só faz você.


voltei.

:)

bjsss