domingo, 14 de setembro de 2008

mudança nos tempos*

fomos pessoas plurais
de um verbo singular
em suas formas (i)nominais
e modos imperativos de declinar
somos, hoje,
pretéritos Nós
de um ex-futuro insistente
que o tempo,
atroz sujeito,
conjuga no presente
quase-(im)perfeito

* Para alguém "resgatado"

6 comentários:

victor disse...

Que bom ser o primeiro. quero vir aqui mais vezes. abraços

victors.gomez -
projetos sociais artes

vαℓéя!α tαяeℓhσ disse...

Olá, Sandra!
Publiquei seu "storyboard" no blog Impura Poesia ( http://impurapoesia.blogspot.com ), ok?
Quando (e se) quiser enviar colaborações para lá, basta me enviar por mail, assim não preciso furtar seus poemas :)))))

Beijos, querida e sucesso com seu texto sentido!!

Yara disse...

Que importa
um pretérito imperfeito?
Se é imperativo afirmativo
infinitamente viver...

Augusto S² disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Augusto S² disse...

Opa, me perdoa o atraso, na verdade ví seu comentário hoje, por acaso. Obrigado pelos elogios e passe lá sempre que quiser.

Sim, tens um estilo semelhanto ao da Yara, um pouco mais quebrado e menos técnico pelo que pude ver. Mas, interessante tanto quanto. Bem construído.

Ramon Alcântara disse...

somos o verborigem sem a dinvidade da oração, como uma des-criação planejada. somos fadifícil de ex-plicar. somos mais que prosa, poesia.


abzzz