domingo, 28 de setembro de 2008

re-impressões

O Beijo que
Te enfeita a sala
E me fita
Também rima
Com a palavra
Que adorna meu verso
...noutro quarto
Onde teu gesto contorna
o pensamento que guardo:
Esboço da paisagem natural
Na tela inconclusa
Que a chuva (no rosto)
Transforma...
Em iminente
Temporal

(Nota de rodapé: Tem uma resenha do meu "Texto sentido" num certo recanto)

7 comentários:

Márcia(clarinha) disse...

saudade poética que dói em versos...

lindo dia,flor
beijos

Ramon Alcântara disse...

curvas e curvas e curvas, a tela se refaz a cada instante, imitando o drama de Dorian Gray, entre choros e chuvas, tudo se borra, entre verso e inversão térmmica, tudo rima com aquele que copia seus sentimentos.

ou xeroca.



abzzz

Elise disse...

O que é inconcluso tem um 'quê' de eterno...
Saudade e lágrimas (e Sandra) sempre dão lindos poemas. :)
Meu beijo.

Paulo Viggu disse...

E a chuva no rosto transborda. Beijo aí - Paulo Viggu

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Sempre suave, sempre belo.

marcelo disse...

Sandra... que bom lê-la, com paixão, com volúpia, com os poros... que bom que ainda existem linhas que não sigo apenas com os olhos... bj, marcelo ... mbrettas.blog.uol.com.br

loba disse...

Demoro, mas qdo venho mergulho!
E já estou pedindo o Texto sentido!
Sucesso, querida. Seu texto merece, vc merece!
Beijocas