segunda-feira, 27 de julho de 2009

rotina

Tenho gastado os dias
Sem poesia nos olhos
Sem rima no lápis
Sem muita emoção

Tenho contado as horas recentes
dedilhando as lembranças dos teus dedos
emaranhados em meus pelos:
Imagens dos sonhos acomodados
Em frequentes pesadelos

5 comentários:

Francisco Dantas disse...

Sandrinha, recebeu meu filhote? Adorei seu Texto Sentido. Retornei ao meu blogue prestando-lhe uma homenagem. Confira! Um beijo.

Dora disse...

Sandra, Sandra! Eu andei longe da vidinha dos blogs. E voltei, além de saudosa, com imensa vontade de ler poesia.
E eu já sabia de seu talento.
Mas, o amigo Dantas, ao se referir a você, me deixou mais entusiasmada ainda!
Leio hoje "Rotina" e vou percebendo a destreza de brincar com as palavras, a leveza do tom, a sensualidade gostosa, enfim...um jeito de quem nasceu "poeta".
Aplaudo você!
Com admiração e agradecimento!
Deixo meu abraço!
Dora

Paulo Viggu disse...

Um dedilhado de dedos nos pelos faz da respiração um rock and roll. Beijo aí . Paulo Viggu

Renata (impermeável a) disse...

rotina em todo poetica

Simone Huck disse...

As vezes, parece que tudo esbarra no tédio, mas sempre, em versos !!
Bjs e saudades