sábado, 24 de novembro de 2007

mergulho

Um olhar boiava
fora do mar
afogava barcos
pesados e estrangeiros
(embarcações à deriva)
E a onda indecisa
me arrastava
para as saudades
oceânicas

6 comentários:

paulo vigu disse...

Olhos de mar remontam ondas, cospem até o surfista, mas se feitos em verso lacrimejam, quando a saudade parece um vento doido querendo derrubar tudo. Aporte no rio daqui. Venha como se fosse ilha. Beijo na dona daqui.

Destro disse...

Mergulho

Um olhar emergia
dentro do mar
rebocava barcos
leves e caseiros
(frotas na rota)
E a onda decidida
me tirara
das saudades
oceânicas

Confesso que não resisti. Beijo de alguém que está voltando.

andré gabriel disse...

olá! mais uma vez por aqui, decodificando estes teus versos precisos. beijos

Caruco disse...

Tudo bom, Sandra? Conta aí da tua vida.

Múcio L Góes disse...

deixa fluir, e da rima riremos, enqto nao rimamos... vc é Poeta, queridamiga, vc é.

bjaummm

ZeRo S/A disse...

Saudade oceânica... expressão de beleza impar.