domingo, 2 de dezembro de 2007

cíclico

outra manhã se revela
e me engana...
se me deixo plena
e me afogo
densa de planos
à espera
do beijo sonoro
cotidiano
noturno
que ilumina minha cama
quando durmo

10 comentários:

andré gabriel disse...

esse também poderia se chamar cotidiano n°3. beijos minha querida poeta.

L. Rafael Nolli disse...

Olá, Sandra! Venho aqui através do livro Trilhas, organizado pela Loba. Achei muito bons os teus poemas que li no livro e resolvi conhecer mais!

J.F. de Souza disse...

Outra manhan se revela
e eu já nao me engano mais...

Só nao sei se isso é bom ou ruim.

Gafanhoto disse...

Como anda o projeto do teu livro de poemas, Dona Sandra? Lembro que há muito tempo você me falou desse projeto. -- PS: eu não sabia que você também está no Trilhas. Estou nele assinando com o pseudônimo de Caruco. Abraço! ASS: Jota

Leandro Jardim disse...

sim, é exatamente cíclico
ora vazio
noutras magnífico

hehe, bonito, beiJardins

paulo vigu disse...

Beijos sonoros nas ruas de Sampa. Todos querem comprar. Digo que não estão a venda. São da moça que é feita em versos e que desceu o rio lendo "SPeed Urb Ana" - que fiz pra essa cidade que nunca pára. Riodaqui. Beijo aí.

Luzzsh disse...

Sonos em camas iluminadas por beijos fazem um bem para a pele! Não há manhã que não reluza a ouro.

(E se assim não é, deixar-se enganar: why not?...)

;)

Beijos, Sandra!

Elcio disse...

o beijo foi ali na esquina comprar cigarros, mas, garantiu q retorna.
rssssss

É isso ai.
Bjs e otima semana.

Remo Saraiva disse...

Tenho uma amiga cuja feminilidade forte aflora em versos como nos seus!! Certamente ela apreciaria bastante...

Bjs,
REMO.

Ady Cavalcante disse...

Que gostosoooo... Beijos!!