quarta-feira, 6 de agosto de 2008

interior

No lugar-comum do meu corpo
com seu concreto alicerce
você ergue um poema novo
E edifica sua sólida prosa
Na pequena vila
Onde minha rima mora

3 comentários:

rio daqui disse...

"Beira do mar, lugar comum, começo do caminhar pra dentro do fundo azul" (...) É... dona Sandra, erguer poema novo assim é de tirar corpos do "lugar-comum". Gosto da sua casa e de você. Beijo - Paulo Viggu

Anônimo disse...

Esse "lugar-comum" é, na realidade, um lugar incomum, o verdadeiro templo da poesia. Um beijo, Sandra, você está demais. Francisco Dantas

loba disse...

Um dia, um poeta me disse: escrever é um ato de desespero, publicar é um ato de coragem!
Portanto, parabéns pela publicação. Sucesso e reconhecimento é o que desejo. Vc merece, sua poesia merece, nós leitores merecemos!
Grande beijo, poeta!!