domingo, 16 de novembro de 2008

náufrago*

Eu quero ver/ter o mar
- Não as águas que me afogam
mas a imensidão de navegar...
Em vez de castelos de areia
Desmanchando solidões alheias
quero detalhes marítimos...
mergulhados em salgadas sensações
no fluxo dos olhares mais íntimos...

Quero a profundidade serena do mar
(de onde ninguém possa me resgatar)

*Lembrando do filme "O Piano".

7 comentários:

Sabrina Sanfelice disse...

O mar e o amor
Semelhança gráfica
Que se espalha até a última gota.

Adoro a suavidade de suas poesias.

Rayanne disse...

O mar
A mar
Apenas um artigo,
mudando esse olhar.

Mudo torna em sal
sal arde
de voltar.

***Estrelas marinhas***

Márcia(clarinha) disse...

Detalhes, queres os detalhes, eles sim, fazem a diferença no [a]mar.

lindo dia flor
beijos

Mr. Ziggy disse...

Seria o poeta um tritão? É que eu queria ter um mar pra mim. E mesmo sem ter eu insisto em mergulhar. Pelo jeito, você também. Deu até pra ver a profundidade e tudo mais. Belo e tal! Beijos!

Ramon Alcântara disse...

Quero rememorar os tempos idos em que eu mãe mundo era tudo um mar.


abz

Francsco Dantas disse...

O mar e seus mistérios, o homem e seus mistérios,, o poeta e os seus mistérios evidenciados na expressão dos mistérios alheios e dos seus próprios. Belo, Sandrinha. Um beijo. Francsco Dantas.

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

Este poema remete-me a um mar de calmaria... beleza suave.