terça-feira, 2 de dezembro de 2008

alívio

seu tato
suave
prefere
a febre da rima
que arde
e se abre
quando sua pele
me queima
em segredo
e deixa meu peso
mais leve

7 comentários:

J.F. de Souza disse...

momentos de
leveza

Beatrice Jasmin Noire disse...

firo
e prefiro
tua febre
sem rimas

J.R. Lima disse...

Olá! Obrigado pela visita aos meus ecos diversos, atualmente cinzentos.

Um abraço!

Rodolfo

Mariana disse...

neves leves de
rima

caem

:-))

Rayanne disse...

Céu em cima,
saudade cisma,
arrisco a rima,
que me arruína.

há.

E agora vem me provocar com saraus, poetices paulísticas e afins. Dona Sandra, ah, se eu te pego!

**Estrelas saudosas**

José Rosa (ZeRo S/A) disse...

A sustentável beleza da poesia...

Alex Pinheiro disse...

O tipo de coisa que emagrece, hehe

...

E não é que o tal Amigo Poético tá pegando!!! Pois acabei que me empolgou descolando o espaço da visita,,, :)

Bjs e novas invenções!