domingo, 19 de novembro de 2006

querente

O calor da sua boca
Faz ronda no meu corpo
Me percorrendo do ponto à ponta
Seu hálito querente
Ascende em meu pescoço
Até alcançar o rosto
Como um sopro ardiloso
Ao longo dos pêlos em riste
Sinto então mais lasciva
A lânguida saliva... que você
Esfrega com a língua
Entorpecida, ainda ereta
Espalhando seu gosto distraído
Desde o ombro até o umbigo
Seus lábios lúbricos me escalam os seios...
Arrebatando meus excitados anseios
Seus dentes me tatuam, por fim:
Antes as costas... depois o ventre
E eu me abro: saio de mim
Para que outro beijo me entre

14 comentários:

Poeta Matemático disse...

Quente...

E avassalador...

Como os dentes que arranham a pele

Antes do suspiro libertador..

Muito bom..

Obrigado pela visita

Loba disse...

Moça, ficou muito lindo seu novo espaço! A poesia continua a mesma: quente, urgente, visceral! Gosto tanto disso! rs...
Beijo grandão

Rafael disse...

Oi linda !!! Nossa, fico impressionado como você escreve bem, e com sentimento. Parbéns, continue assim. Beijão

Marla de Queiroz disse...

Sandraaaaahhhhhhhh!!!!!!!!
Nossa, que poema arrebatador!!!!!!!!Construção delicada da imagem, do corpo em brasa...Faltou foi fôlego quando cheguei na última linha....
Lindo, lindo, lindo!
ADORO o que escreve, essa sua feminilidade.......
Beijos.

Ricardo Imaeda disse...

parabéns pela nova página, muito bonita, mais de acordo com sua poesia.
bem-vinda ao blogspot, nova vizinha!
um abraço.

Anônimo disse...

Lindo! :) meu beijo.

Alex disse...

O comentário acima é meu, hehehe.

Múcio Góes disse...

algo pulsando por baixo de cada verso.

belo.
bjo.

Nanna disse...

Nossa, ainda tô sem ar...

Beijinhos...
:)

moacircaetano disse...

que belíssimo seu blog novo!
e pra combinar, uma poesia belíssima, né?
te adoro!!!!!!!!

paulo vigu disse...

Seus dedos em versos captam desejos. O texto amolece as pernas. Riodaqui/ beijo aí/ Paulo Vigu - Grato por mergulho lá. Voltarei aqui.

Tiago disse...

gostei do texto. gostei da casa nova. beijo.

Dantas disse...

Casa ova e linda, não é, Sandrinha. Dá ainda pra sentir o cheiro de tinta nivinha, novinha. E os textos que nela habitam fazem o prazer deste visitante. Um beijo. Parabéns.

ZeRo S/a disse...

Muito lindo.