terça-feira, 28 de novembro de 2006

storyboard

No lado de dentro
Teus dedos diretos
Em movimentos macios
Eretos como falo
Em contato com o rio
Fluente alvo que verte
E vadio se diverte
Quando escancaro
Na tua boca
(entre as coxas)
as pequenas fendas
Em rendas e labaredas
Para que me metas
Apenas o que eu mereça...

9 comentários:

Poeta Matemático disse...

ui...

rsrsrs

sem comentários...

Adoro erotismo rasgado, escancarado...

É isso...

moacircaetano disse...

chega me deu um frio na barriga...

paulo vigu disse...

E tudo isso vem do rio que passa tesudo dentro dessa casa feita em versos. Riodaqui/ beijo em você/ paulo vigu

Tahkren disse...

Passando aqui para dar meu alô e, uau!
Que poema, hein? Muito bão!

Baccio

Múcio Góes disse...

cada verso, um slide, montando um filmaço, um poemacio.

bjsss!

Lino disse...

Mais uma surpresa e que vem com uma poesia ótima, com imagens quase que fotográficas, e que embute um lirismo excitante.

Octávio Roggiero Neto disse...

Uma coisa eu te falo, poetisa, mereces bem mais que o falo...
Prazer em conhecê-la, Sandra! Pena que cê ficou pouco lá no nosso Encontro, mas oportunidades não faltarão pra conversarmos mais, né não?
Sua poética é eminentemente lúbrica, pelo que percebo, e singular no estilo.
Adorei você!
Té mais ler, então!

Marla de Queiroz disse...

Sandra,
só vc pra escrever as coisas mais ousadas com tanta sutileza e elegância...Ainda aprendo.
Maravilhoso!

Quanto ao nosso encontro:
Teu sorriso ecoa,
Teu abraço ainda esquenta.
Saudades inevitáveis, irremediáveis.

Leandro Jardim disse...

ô tesão! hahaha.... muito bom e fechou com chave de ouro!!!! muito bom mesmo!!!

beijardins carioquinhas