quarta-feira, 21 de fevereiro de 2007

(talvez) para uma quarta-feira em cinzas

(poema para o “amor” que dançou)
Recuperando o presente,
Percorro aqueles passados
Outros feriados sem fim
E todos os domingos
Que você roubou de mim
Recolho migalhas de carinho
Nos abraços que ainda sinto
Espalhados entre os nãos
Dos seus atalhos em meus vãos

9 comentários:

Rafaela Silva Santos disse...

Sandra, a dor q ver alguém partir e a lembrança dos momentos vazios são de doer mesmo...mas passa, tudo passa, como os feriados e as bebedeiras de sábado.Tenho um blog tb, me visita tá?é biologapoetisa.zip.net.Beijuss

andré disse...

escrita fina e melódica, é música. beijos

Wagner Marques disse...

Será q na quarta-feira de cinzas restam ao menos cinzas?

ou o que sobra são os mais puros
fragmentos do q o carnaval sugou?!

Excelente poema...
bem construído...

Abração...

Poeta Matemático disse...

Ahn...

No words..

Tamos aí, na parada...

Engraçado, tu nunca ligou pra mim...

Ahn...

Normal

Múcio Góes disse...

salve, fenix! essa entende bem de cinzas!

dor
ido

dor
ida

amor
e
vida

bjs

paulo vigu disse...

Que o vento sopre os nãos espalhados pela casa, pois outros feriados e domingos virão. Riodaqui/Paulo Vigu

*Clara* disse...

mudei de blog, ok?

visite-me qdo puder.

beijo.

www.essemeujeito.blogspot.com

Francisco Dantas disse...

Lindo mesmo, Sandra, pelo tom mesmo de uma quarta-feira de cinzas. Gostei. Um beijo. Bom final de de semana.

Leandro Jardim disse...

eita mulher genial!