sábado, 3 de fevereiro de 2007

poética

É no encanto do verso
Que minha vontade vibra
latejando entre os gestos
Por entre as pernas... na rima
É nas figuras da poesia
que jorram meus sentidos
...metaforizando fantasias
no rascunho dos meus escritos
É no verbo do texto alheio
Que releio meus vernáculos receios
E deixo meus desejos pelo meio.

12 comentários:

Poeta Matemático disse...

Hum...

Sentimentos e sentimentos...

Tudo misturado...

Numa revolução

david santos disse...

Olá!
São sentimentos carregados de realidade.
Parabéns.

Leandro Jardim disse...

Ô coisa boa!

livia disse...

Ássim é a emoçao da paixao:real e irral se encontram numa explosao de cataratas ou de rios suaves.Conhecendo teu espaço e gostando muito.

Marcelo disse...

tente de todos os meios... alie todo o tipo de recheios... levante o punho para a realidade... mate todo o tipo de vaidade... deseje só e sempre por inteiro...

Múcio Góes disse...

quente, rente à pele.

belo!

bjo.

Sayô disse...

"Dom de ser poesia é muito bom"
Manoel de Barros
Parabens pelo blog!
Bjs

andré gabriel disse...

"por entre as pernas da rima", que coisa maravilhosa. beijos

czarina disse...

ô minha linda.
sabe o sentido médico da palavra " rima'?
:*

Ellemos disse...

Hum... Pelo meio... Como será isso...?

Então, não sei com quem ficou aquele poema regado a vinho... Talvez com Fejones, talvez com Czá...

Há algumas fotos no orkut. Vá ver!

Beijinhos.

czarina disse...

o poema gigante num ficou comigo não...
é um mistério.
vc procurou entre as almofadas do sofá?

paulo vigu disse...

Oi - somente agora entro aqui no encanto do verso de Sandra, pelo canto direito. Meu coração quis assim. Beijo solto no Riodaqui vai aí. Paulo Vigu