domingo, 17 de dezembro de 2006

a noite... sendo*

É na boca faminta da madrugada
Que me sacio da sua ausência
Quando o gosto ambicioso do encontro
Despe o corpo das conveniências
E me veste com sua essência
É no obscuro noturno dos pêlos
Que seu hálito urgente me vasculha
Como agulha de bússola insegura
À procura de um norte entre os dedos
É na silenciosa passagem das horas
Que meus úmidos sussurros imploram
A imagem do beijo que me contorna
E devora meu desejo... que extrapola

* Lembrando do poeta Múcio Góes, do Diversos, que fez "a dor me sendo"

8 comentários:

Poeta Matemático disse...

Sim, no erótico vc é imbatível...

Muito sensível e forte...

GEnial

Nanna disse...

Essa sensibilidade que é toda sua...

Um beijo, dear.
:)

moacircaetano disse...

sua... sua... perfeita!

Múcio Góes disse...

Humm belo, e noturno. um poema passeante.

Bjss!

Marcelo disse...

sendo assim à dor, cedo com ardor... à mercê me rendo ao rancor da poesia tão cedo arrancada de prévias e ricas paradas...

paulo Vigu disse...

Imagem de beijos contorna e o desenho dança aqui nessa madrugada, nesse noturniscuro. E uma bússola vesga erra tudo, mas sinto o cheiro de um desejo devorado. Riodaquiaí. beijoaí. paulo Vigu

Ricardo Imaeda disse...

sandra,
soube que a oficina continua em fevereiro. espero te ver lá.
um abraço.

paulo vigu disse...

E-mail - Desculpe-me o atraso, pois o trabalho era muito por aqui. Então, senti
no texto que alguma coisa remetia ao que eu havia escrito. Que bom, fico
feliz pela inspiração. Aprecio a sua palavra no feitaemversos, você bem
sabe. Riodaqui.agora.1 beijo - Paulo Vigu